quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Papai, eu quero me casar



Papai, eu quero me casar.
Oh, minha filha, você diga com quem.
Eu quero me casar com motorista.
Com o motorista você não casa bem.
Por quê, papai?
O motorista aperta muito na buzina,
E depois vai apertar você também.

Papai, eu quero me casar.
Oh, minha filha, você diga com quem.
Eu quero me casar com o economista.
Com o economista você não casa bem.
Por quê, papai?
O economista mexe muito na poupança,
E depois vai mexer na sua também.

Papai, eu quero me casar.
Oh, minha filha, você diga com quem.
Eu quero me casar com o leiteiro.
Com o leiteiro você não casa bem.
Por quê, papai?
É que o leiteiro tira o leite de vaca,
E depois vai desmamar você também.

Papai, eu quero me casar.
Oh, minha filha, você diga com quem.
Eu quero me casar com o padeiro.
Com o padeiro você não casa bem.
Por quê, papai?
É que o padeiro mete muito a mão na massa,
E depois vai amassar você também.

Papai, eu quero me casar.
Oh minha filha, você diga com quem.
Eu quero me casar com o Marlon Brando.
Com o Marlon Brando você não casa bem!
Por quê, papai?
O Marlon Brando manteigou a Maria Schneider
E depois vai manteigar você também!

Papai, eu quero me casar.
Oh, minha filha, você diga com quem.
Eu quero me casar com o Ney Matogrosso.
Ney Matogrosso? Aí você casa bem!
Ney Matogrosso vira homem e lobisomem,
E quando é homem não põe medo em ninguém!



Esta música era muito cantada em circos. Algumas estrofes acima foram adaptadas para o programa de televisão “Os Trapalhões”, num quadro do Didi, fazendo o pai; e Zacarias, fazendo a filha que queria se casar. Nesse quadro humorístico, a fala dos personagens era bem caipira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário