quarta-feira, 15 de março de 2017

Ronda


(1953)

Composição: Paulo Vanzolini


Música lançada em 1953 por Inezita Barroso. Para fazer esta música, Paulo Vanzolini inspirou-se em seu tempo de soldado, nos anos 40, quando servia na Companhia de Polícia do Exército, PE, e fazia Rondas pelas boates de São Paulo à procura de soldados desgarrados. Foi nessa ocasião, que presenciou dramas parecidos com os da letra da música em questão. As mulheres que iam de bar em bar, em plena madrugada, atrás de seus homens que não voltavam para suas casas.

Paulo Emílio Vanzolini nascido em São Paulo em 25/4/1924 é um caso raro na MPB, pois é o único compositor de samba que é Doutor realmente, pois Paulo Vanzolini além de médico formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, em 1947, fez doutorado nos Estados Unidos, na Universidade de Harvard, tendo obtido o título de Doutor em Zoologia. Foi professor do Colégio Bandeirantes e ingressou na Universidade de São Paulo como pesquisador do Museu de Zoologia, onde viria a ocupar o cargo de diretor vinte e cinco anos mais tarde, entre 1963 e 1993, sendo um dos zoólogos mais respeitados no mundo. Na música desde muito cedo, se apaixonou por samba e dedicou-se à composição. Seu primeiro sucesso foi "Ronda", gravado inicialmente por Inezita Barroso em 1953, mas o imenso sucesso nacional veio com a gravação da cantora Márcia nos anos 70. Além de "Ronda" e "Volta por Cima" Paulo Vanzolini compôs inúmeros outros sambas. Paulo Vanzolini faleceu aos 89 anos, em 29 de abril de 2013.

Ronda

De noite, eu rondo a cidade
A lhe procurar,
Sem encontrar.
No meio de olhares espio,
Nas mesas dos bares,
Você não está.
Volto pra casa abatida,
Desencantada da vida,
No sonho eu vou descansar,
Nele você está...

Ah! Se eu tivesse
Quem bem me quisesse
Esse alguém me diria:
“Desiste, essa busca é inútil!”
Eu não desistia.

Porém, com perfeita paciência,
Sigo a procurar,
Hei de encontrar.
Bebendo com outras mulheres,
Rolando um dadinho, jogando bilhar,
E, nesse dia então,
Vai dar na primeira edição:
“Cena de sangue num bar
Da Avenida São João.”




Boteco por Lan



Nenhum comentário:

Postar um comentário