quarta-feira, 26 de abril de 2017

Símbolos Maçônicos


Acácia


→ Acácia mimosa, a planta símbolo por excelência da Maçonaria; representa a segurança, a clareza, e também a inocência ou pureza.

Avental


→ Símbolo do trabalho maçônico; branco, e de pele (ou plástico), para os Aprendizes e Companheiros; branco orlado de vermelho ou azul, para os Mestres.

Colunas


→ Símbolos dos limites do mundo criado, da vida e da morte, do elemento masculino e do elemento feminino, do ativo e do passivo.

Compasso


→ Símbolo do espírito, do pensamento nas diversas formas de raciocínio, e também do relativo (círculo) dependente do ponto inicial (absoluto). Os círculos traçados com o compasso representam as Lojas Maçônicas.

Delta


→ Triângulo luminoso, símbolo da força expandindo-se; distingue o Rito Escocês.

Esquadro


→ Resulta da união da linha vertical com a linha horizontal, é o símbolo da retidão e também da ação do Homem sobre a matéria e da ação do Homem sobre si mesmo.

Malhete


→ Pequeno martelo, emblema da vontade ativa, do trabalho e da força material; instrumento de direção, poder e autoridade.

Pavimento em mosaico


→ Chão em xadrez de quadrados pretos e brancos, com que devem ser revestidos os templos; símbolo da diversidade do globo e das raças, unidas pela Maçonaria; símbolo também da oposição dos contrários, bem e mal, espírito e corpo, luz e trevas.

Pedra Bruta


→ Símbolo das imperfeições do espírito que o maçom deve procurar corrigir; e também, da liberdade total do Aprendiz e do maçom em geral.

Templo


→ Símbolo da construção maçônica por excelência, da paz profunda para que tendem todos os maçons.

Três pontos, triângulo


→ Símbolo com várias interpretações, aliás, conciliáveis: luz, trevas e tempo; passado, presente e futuro; sabedoria, força e beleza; nascimento, vida e morte; liberdade, igualdade e fraternidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário