sábado, 27 de maio de 2017

O homem no desemprego



O homem no desemprego*
é um homem amordaçado.
Esconde grito contido.
Por isso parece calado.

O homem no desemprego
rumina áspero ódio.
O tempo boceja inútil
sem agendas ou relógios.

O homem no desemprego
não tem passagens ou malas.
Move-se num vai e vem
qual uma fera na jaula.

O homem no desemprego
parece perdido no espaço.
Manearam suas pernas.
Imobilizaram seus braços.

O homem no desemprego
é um homem no exílio.
Não tem idioma nem pátria.
É um trem fora dos trilhos.

O homem no desemprego
é um náufrago na tábua.
É um peixe asfixiado
num turvo aquário de mágoas.

O homem no desemprego
congelaram sua imagem.
O tempo rola seu filme,
mas ele ficou à margem.

Ao homem no desemprego
o alambique destila
a salvação pelos copos
e o triste roteiro das filas.


(Luiz Coronel – Correio do Povo – maio de 2017)

*Desemprego ou desempregado é tudo a mesma coisa...


Nenhum comentário:

Postar um comentário