domingo, 30 de julho de 2017

Você vale pelo que é, e não pelo que aparenta ser.



Um famoso conferencista começou um dia sua palestra segurando uma nota de 100 reais. Numa sala com duzentas pessoas, ele perguntou à plateia:

– Quem quer esta nota de 100 reais?

Mãos começaram a se erguer.

– Eu darei esta nota a um de vocês, mas primeiro deixem-me fazer isto!

Então, ele amassou a nota. E perguntou outra vez:

– Quem ainda quer esta nota?

As mãos continuaram erguidas.

– Bom, e seu eu fizer isto? – perguntou, deixando a nota cair no chão e começando depois a pisá-la e a esfregá-la. Em seguida, pegou a nota imunda e amassada, e perguntou:

– E agora? Quem ainda quer esta nota?

Todas as mãos permaneceram erguidas.

– Meus amigos, aprendam esta lição. Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês ainda vão querer esta cédula, porque ela não perde o valor, ela sempre valerá 100 reais.

Isto também se dá conosco. Muitas vezes, na vida, somos amassados, pisoteados e ficamos sujos, por decisões que tomamos ou por circunstâncias com que deparamos em nosso caminho. E assim nos sentimos desvalorizados, sem importância. Porém, creiam: não importa o que aconteceu ou acontecerá, jamais perderemos nosso valor.

Quer estejamos sujos, quer estejamos limpos, quer amassados ou inteiros, nada disso altera a importância que temos: o nosso valor, o nosso caráter.



 (Do livro “O que podemos aprender com os gansos”, 
de Alexandre Rangel)



Nenhum comentário:

Postar um comentário