domingo, 9 de setembro de 2018

Saldo Negativo



                Dói muito mais arrancar um cabelo de um europeu
 que amputar uma perna, a frio, de um africano.

 Passa mais fome um francês com três refeições por dia
 que um sudanês com um rato por semana.

 É muito mais doente um alemão com gripe
 que um indiano com lepra.

 Sofre muito mais uma americana com caspa
 que uma iraquiana sem leite para os filhos.

 É mais perverso cancelar o cartão de crédito de um belga
 que roubar o pão da boca de um tailandês.

 É muito mais grave jogar um papel ao chão na Suíça
 que queimar uma floresta inteira no Brasil.

 É muito mais intolerável o xador de uma muçulmana
 que o drama de mil desempregados em Espanha.

 É mais obscena a falta de papel higiênico num lar sueco
 que a de água potável em dez aldeias do Sudão.

 É mais inconcebível a escassez de gasolina na Holanda
 que a de insulina nas Honduras.

 É mais revoltante um português sem celular
 que um moçambicano sem livros para estudar.

 É mais triste uma laranjeira seca num kibutz hebreu
 que a demolição de um lar na Palestina.

 Traumatiza mais a falta de uma Barbie de uma menina inglesa
que a visão do assassínio dos pais de um menino ugandês.

 e isto não são versos;
 isto são débitos numa conta sem provisão do Ocidente.
   
Fernando Correia Pina
    
(Poeta português, nascido em 1954. Formado em História, vive em Portalegre, região do Alto Alentejo, junto à fronteira com a Espanha. Portalegre tem cerca de 16 mil almas. Pina é um barnabé municipal lotado no Arquivo Histórico local.)


Nenhum comentário:

Postar um comentário