sábado, 5 de março de 2016

Mais uma história da MPB

Guarde a rosa que eu te dei...




Guarda a rosa que eu te dei / Esquece os males que eu te fiz / A rosa vale mais que a tua dor...”. A letra de Antônio Maria (foto à esquerda) em “O amor e a rosa” parece se referir a um amor mal resolvido e cuja dor um dos amantes tenta aplacar com uma flor. Foi mais ou menos isso – só que com o sinal trocado. Disseram a Sérgio Porto (foto à direita) que sua namorada, a vedete Rose Rondelli*, estrela de Carlos Machado, estaria naquele momento nos braços de Antônio Maria em determinado endereço de Copacabana. Sérgio foi para lá, com os olhos em brasa, e flagrou-os na rua, nas proximidades do Hotel Plaza, onde Maria tinha um apartamento para quando não quisesse dormir em casa. O confronto dispensava palavras – os três, frente a frente, ao se olharem, já diziam tudo. Sérgio Porto também era grande, e tudo levava a crer que haveria pancadaria. Mas, a um primeiro gesto de Sérgio, Maria tirou uma rosa do cesto de Pedro das Flores, que passava por ali, e a ofereceu a ele. Isso o desarmou. Depois de alguns momentos de hesitação, Sérgio tomou Rose pelo braço e foram embora.

Pouco depois, de volta ao Plaza, Maria fez a letra no bar; o pianista Pernambuco ouviu-a e se ofereceu para musicá-la; o resultado final, “O amor e a rosa” foi gravado por Elizeth Cardoso. Maria dedicou-a a Sérgio Porto e a paz voltou a Copacabana.

O amor e a rosa

Antônio Maria e Pernambuco

Guarda a rosa que eu te dei,
Esquece os males que eu te fiz,
A rosa vale mais que a tua dor.

Se tudo passou,
se o amor acabou,
A rosa deve ficar.
Num canto qualquer
Do teu coração,
O amor reviverá.

Guarda a rosa que eu te dei,
Esquece os males que eu te fiz,
A rosa vale mais que a tua dor.


(Do livro “A noite do meu bem”, de Ruy Castro – Companhia da Letras)


*Rose Rondelli, vedete – Quando Chico se uniu a Rose, ela já tinha o filho Duda, do casamento com Carlos Gil. Chico adotou Duda como filho. Depois, Rose e Chico tiveram dois rebentos. O primeiro nasceu em 1964 e é Nizo Neto*, ator, dublador e mágico. Entre os trabalhos mais famosos de Nizo, estão o Seu Pitolomeu da “Escolinha do Professor Raimundo”, e a voz de Ferris Bueller (Matthew Broderick) na dublagem de “Curtindo a Vida Adoidado” (1986). O outro filho desse casamento é Rico Rondelli, hoje diretor de TV. No final dos anos 1960, Chico ainda adotou André Lucas, hoje comediante teatral.

*Nizo Neto perdeu seu filho em circunstância misteriosas, neste mês de março de 2016, afogado numa praia deserta do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário