domingo, 27 de março de 2016

Trovas do “Terno de Reis”



Instrumento de Terno de Reis - Tapes-RS – 1976


O Padre Mário Pedrotti, quando tinha suas funções religiosas em Torres, RS, reuniu o seguinte canto, como exemplo do “Terno de Reis” que foi cantado naquele município na noite de 6 de janeiro, dia dos Reis Magos. Começavam à meia-noite.

Logo que chegávamos à primeira das famílias escolhidas, parávamos diante da porta e o coro começava a cantar:

Com o nome de Deus começo
Pai, Filho, Espírito Santo,
Este é o primeiro verso
Que nesta casa eu canto.

À chegada dos Três Reis,
Momento de alegria,
Vimos trazer notícia
Do milagre que existia.

Em seguida, vinham mais cinco quadrinhas anunciando à família o acontecimento do Natal:

Aqui estamos nesta casa,
Na beira deste telhado,
Para vir te acordar
Deste sono descansado.

Quando levantares da cama,
Faze o sinal da cruz,
Que também nos acompanha
A graça de Jesus.

Chegamos nesta casa,
Neste jardim florido,
Vimos trazer notícia
Que Jesus é nascido.

Em vinte e cinco de dezembro
Que este milagre se deu,
Na gruta de Belém
Jesus Cristo nasceu.

Na gruta de Belém,
Nasceu o filho de Maria.
Deu à luz a criança
Antes de clarear o dia.

Nesse momento, o coro se aproximava mais da janela e levantava a voz:

Acorda se estás dormindo,
Escuta se estás acordado,
Manda-nos abrir a porta
Pelo mais nobre criado.

Depois dessa estrofe, o visitado devia abrir a porta e mandar a gente entrar. Depois de acomodados nas cadeiras, o canto prosseguia:

Porta aberta, luz acesa,
Sinal de muita alegria.
Vamos entrando nesta casa
Junto com a Virgem Maria.

Em seguida, o grupo pedia uma oferta que, normalmente, era cerveja ou vinho:

Cidadão, dono da casa,
Vimos vos visitar.
Vimos pedir vossa oferta,
Se vós tendes para nos dar.

Os Três Reis por serem santos
Saíram a caminhar,
Guiados por uma estrela,
Nesta casa vieram chegar.

Cidadão, dono da casa,
Vós queirais nos desculpar,
O senhor nos dê licença
Que nós queremos descansar.

Nessa altura, o coro parava e corria a cerveja. Todo mundo se cumprimentava desejando muitas felicidades para o novo ano. Depois, vinha o agradecimento, enquanto o grupo se retirava para uma nova visita.

Pela oferta que nos deste,
Ficamos muito agradecido.
Lá no céu haveis de achar
Uma cadeira de vidro.

Obrigado pela oferta,
Que nos destes de boa mente.
Os anjos do céu vos ajudem,
E os seus bens vos aumentem.

Agora vamos sair
De retirada de Belém.
Os Santos Reis se despedem
Até o ano que vem.

Cidadão, dono da casa,
Nos despedimos de vosso povo,
De todos da família
Desejando um feliz Ano Novo.

O senhor nos dai licença
Que nós queremos ir embora.
Fique com Deus em vossa casa,
E nós vamos com Nossa Senhora.

É pena, concluiu o padre Pedrotti, que este costume esteja morrendo, principalmente no interior. “O Terno de Reis” era sempre uma grande festa muito esperada e que era comentada depois por vários dias.


(Do Almanaque do Correio do Povo – 1971)



Três Xirus e Paixão Cortes na Ordem dos Músicos do Brasil,
RS, em 1973


*Parece que na cidade de Osório, RS, o Terno de Ris é ainda festejado, mais pelo aspecto folclórico do que religioso.



Nenhum comentário:

Postar um comentário