quinta-feira, 24 de julho de 2014

Herros da puliça!



      Depois das “Pérolas do ENEM” agora vamos rir das “Pérolas da Puliça”. Tal anedotário é obra de um Tenente Coronel da PM, que recentemente expôs o conteúdo de seu livro no Programa do Jô Soares, informando que todas as frases foram originalmente coletadas dos livros e relatórios de registro policial.

      Alguns erros notórios escritos por policiais em ocorrências:

     “Senhor delegado, deu entrada no Pronto-Socorro Municipal o cidadão, vítima de gargalhada'. 'Gargalhada' no peito, no rosto e nas costas. Segue anexo um 'gargalho de garrafa.”

     “O veículo, durante o acidente, teve amassamento no para-choques e nos para-lamas dianteiros, sendo quem não pudemos colher melhores dados, devido à vítima haver fugido a galope.”

     “O condutor foi preso em flagrante por estar dirigindo em velocidade incombatível com o local.”

    “Ocorreu um abarroamento de pessoas. Os conduzidos, além da algazarra, ainda xingavam a todos com palavra de baixo escalão.”

     “Demos cobertura à ambulância na condução de um 'débito mental' até o PSM'.”

    “O condutor do veículo colocava em risco a segurança das pessoas, pois estava dando 'cavalo de Paulo' na rua.”

   “Chegando ao local, encontramos a vítima caída ao solo, aparentando ter cometido um homicídio contra si mesmo.”

  “No histórico da ocorrência, constava como objeto apreendido: duas latas de cera 'Odd' e uma lata de cera 'PPO'.”

   “Formava uma 'língua de fogo que lavava a rua'.”

   “O cidadão machucou o membro do rosto.”

  “O conduzido, que foi preso em flagrante, disse que era inocente na acusação e que não estava passando de 'bode respiratório´.”

  “O sujeito estava vestido com uma calça Jeans e uma camisa destampada.”

  “...os indivíduos tentaram resgatar o autor do nosso domínio através do uso de força anônima.”

  “O cadáver apresentava sinais de estar morto.”

  “Foi apreendido um quilo de linguiça perfumada.”

 “Atendemos à solicitação do solicitante, que nos narrou que o autor praticava atentado violento ao pudor, pois exibia para os transeuntes os órgãos sanitários.”

 “Após discutir com a vítima, o autor desferiu um forte soco no rosto da mesma, que de tão violento, soltou a tampa de seu nariz.”



Nenhum comentário:

Postar um comentário