sábado, 26 de abril de 2014

Mais Millôr Fernandes


Millôr por Cássio Loredano


10 argumentos básicos para torcer uma discussão a nosso favor,
tirando o interlocutor de sua sólida posição:


01)  Acho que suas conclusões são perfeitamente discutíveis.

02)  Você está enganado – estatísticas provam o contrário.

03)  Ora, as estatísticas não provam coisa alguma!

04)  Confesso que também já pensei dessa maneira.

05)  O senhor está sendo deliberadamente parcial.

06)  Bem, essa é a sua maneira pessoal de ver as coisas.

07)  Aparentemente, o senhor está certo. Mas...

08)  Mas está claro que o seu não é um ponto de vista científico.

09)  Partindo dessa premissa chegaremos à conclusão que quisermos.

10)  Só tenho uma coisa a dizer: acho-o um perfeito imbecil.


Aquilo sim era um menino pobre.
Tão pobre que jamais subia a favela,
porque achava aquele ambiente grã-fino demais para ele.


Afinal, são coisas naturais

Tinha uma letra linda quando escrevia à maquina.

Olhou a paisagem em redor e disse que nunca mais veria coisa igual. Estava diante do pelotão de fuzilamento.

Caiu do décimo andar e nem se feriu. Folhas de papel não se ferem.

Chorava lágrimas de crocodilo. Era natural em se tratando de um jacaré.

Afinal, ficou livre das dores de cabeça. É bem verdade que só quando foi guilhotinado.

Estava em cima da hora e a dois passos do local aonde ia, mas estava certo de que chegaria muitíssimo atrasado. Era um caramujo.

Saiu desolado, certo de que não há possibilidade de união entre as nações. Tinha estado nas Nações Unidas.

Casou-se com uma mulher preguiçosa que o obrigou a ir viver com a sogra. É o que se chama juntar o inútil ao desagradável.

Era um barman e era um sábio. De madrugada, ao fechar o bar, recolhia bolsas, carteiras, lápis, canetas, guarda-chuvas e capas deixadas pelos clientes e murmurava apenas: “Coitados, é natural; bebem pra esquecer.”

Os psicanalistas podem não resolver o problema dos neuróticos, mas os neuróticos resolvem o problema dos psicanalistas.

Quando uma pessoa diz que vai pensar no assunto e depois lhe dá resposta, você já tem a resposta.

A televisão é realmente uma extraordinária força educativa. Penas é que a maior parte do público já tenha concluído o curso primário.

Impropriedade de linguagem é entrar num antiquário e perguntar o que há de novo.

Mulher que passa de um, em dois não fica.



Nenhum comentário:

Postar um comentário