terça-feira, 1 de abril de 2014

A história do samba de uma nota só

          

Newton Mendonça


Newton Mendonça foi o parceiro mais brilhante de Antônio Carlos Jobim, morreu doente, pobre, esquecido e endividado apesar de ter um emprego público e ainda tocar piano na noite. Bebia, fumava e tinha horários descontrolados. Morreu de ataque cardíaco com apenas 33 anos.

Samba de uma nota só é considerado o caso mais perfeito e precioso de ajustamento entre letra e música. Unidade semiológica e semântica. As frases poéticas e musicais são, ao mesmo tempo, significantes e significados. O léxico, a sintaxe, a fonética e a prosódia do discurso verbal; as notas, compassos e percursos das linhas melódica, harmônica e rítmica – remetem-se entre si, se informam mutuamente. Samba de uma nota só já nascia como clássico, um hino da Bossa Nova, ao lado de Desafinado e Meditação, todas as três da dupla New-Tom, Newton Mendonça e Antônio Carlos Jobim.

Tudo que é dito na letra, acontece na música. Preste atenção na letra abaixo e, se possível, escute a música.

Samba de uma nota só

Antônio Carlos Jobim e Newton Mendonça
(Letra e música feita pelos dois)

Eis aqui este sambinha
Feito numa nota só.
Outras notas vão entrar,
Mas a base é uma só.
Esta outra é conseqüência
Do que acabo de dizer,
Como eu sou a conseqüência
Inevitável de você.
Quanta gente existe por aí
Que fala tanto e não diz nada,
Ou quase nada.
Já me utilizei de toda escala
E no final não sobrou nada,
Não deu em nada.


E voltei pra minha nota
Como eu volto pra você.
Vou cantar com a minha nota
Como eu gosto de você.
E quem quer todas as notas
Ré, mi, fá, sol, lá, si, dó.
Fica sempre sem nenhuma
Fique numa nota só.


 (Leia o livro “Caminhos Cruzados” A vida e a música de Newton Mendonça)


Nenhum comentário:

Postar um comentário