domingo, 6 de abril de 2014

Epitáfios de gente famosa em lugares famosos



“Revertere ad locus tuum”
"Volta para o teu lugar"
(No portão de ferro do Cemitério São João Batista - RJ)

“Aqui jaz o grande cardeal que fez na vida o bem e o mal.
O que bem que fez, fez muito mal.
O mal que fez, fez muito bem.”
(Cardeal Richilieu)

“Apesar de tudo, preferia estar na Filadélfia.”
(W.C. Fields)

“Desculpem-me pela poeira.”
(Dorothy Parker)

“Aqui jaz um amante do jazz.”
(Araçá, em São Paulo)

“Se eu não vivi mais, foi por que não me deu tempo.
(Marquês de Sade)

“Desculpe que não me levante.”
(Groucho Marx)

“Estou aqui no último escalão de minha vida.”
(Marlene Dietrich)

“Só peço a Deus que tenha piedade com a alma deste ateu.”
(Miguel de Unamuno)

Na tumba de Arquimedes se diz que havia como único epitáfio;
um cilindro circunscrito a uma esfera.

"Es mi voluntad que mi cuerpo sea enterrado en mi amado pueblo
 de Monte Grande del Valle de Elqui."

"Lo que el alma hace por su cuerpo, 
es lo que el hombre hace por su pueblo."
(Gabriela Mistral)

“Estive bêbado muitos anos, depois morri.”
(Scott Fitzgerald)

“Voltarei e serei milhões.”
 (Evita Perón)

“Aqui jaz Molière, o rei dos atores.
Neste momento, se faz de morto e, de verdade, 
o faz muito bem para si mesmo.”
(Molière)

“Aqui jaz o poeta Vicente Huidobro.
Abra sua tumba; debaixo de sua tumba se vê o mar.”
(Vicente Huidobro)

“Aqui repousam os restos de um ser 
que possuiu a beleza sem a vaidade,
a força sem a insolência, o valor sem a ferocidade 
e todas as virtudes de um homem sem seus vícios.”
(de Lorde Byron para seu cão “Botswain")

“Quem resiste ganha.”
(Camilo José Cela)

“Se queres os maiores elogios, morre.”
(Enrique Jardiel Poncela)

“Aqui jaz o corpo de Jonathan Swif, deão desta catedral,
em um lugar em que a ardente indignação 
não pode lacerar seu coração.
Vê, viajante, e tenta imitar um homem 
que foi um irredutível defensor da liberdade.”
(Escrito por ele mesmo em Latim)

“Fê-lo da maneira difícil.”
(Bete Davis)

“Em memória de Alberto Durero.
Tudo o que nele havia de mortal, está enterrado sob este túmulo.”
(Alberto Durero)

“Um livro deveria ser como uma tocha ante o mar congelado 
que temos dentro.”
(Em seu epitáfio a Sylvia Plath, 
Anne Sexton cita um fragmento de una carta de Kafka)

“Eu amei tanto a vida que parece impossível que eu esteja morto.”
(Nilo da Silva Moraes)

...daqui a muito e muitos anos...


Nenhum comentário:

Postar um comentário