segunda-feira, 7 de abril de 2014

Homenagem às nossas musas



No principio eu era a Eva,
Nascida para a felicidade de Adão
E meu paraíso tornou-se trevas,
Porque ousei libertação.

Mais tarde fui Maria.
Meu pecado redimiria
Dando a luz àquele que traria a salvação,
Mas isso não bastaria
Para eu encontrar perdão.

Passei a ser Amélia.
A mulher de verdade
Para a sociedade.
Não tinha a menor vaidade.
Mas sonhava com a igualdade.

Mui
to tempo depois decidi:
Não dá mais!
Quero minha dignidade.
Tenho meus ideais!

Hoje, não sou só esposa ou filha.
Sou pai, mãe, arrimo de família.
Sou caminhoneira, taxista, piloto de avião,
Policial feminina, operária de construção.

Ao mundo peço licença
Para atuar onde quiser.
Meu sobrenome é competência.
O meu nome é mulher!


Autor desconhecido


As mulheres da minha terra

As mulheres da minha terra,
Obreiras de sol a sol,
São ardentes e são férteis
Sob o luar do lençol.

As mulheres da minha terra
Trazem destino antigo:
Se conquistá-las é prêmio,
Perdê-las é sempre castigo.

As mulheres da minha terra
Bem aprenderam na espera.
Podem passar vendavais
Que tudo se recupera.

As mulheres da minha terra,
Ante o sonho e a solidão,
Levam o passado às costas
E os filhos, pela mão.


Luiz Coronel 

         

Nenhum comentário:

Postar um comentário