quarta-feira, 23 de abril de 2014

O pedido de um preciosista




O cara chegou na confeitaria e mandou fazer um bolo confeitado. Bem bonito, pedindo ao confeiteiro:

- Eu quero um bolo de aniversário. Escreve em cima: “Feliz Aniversário” Fica pronto a que horas?

- Daqui a uns vinte minutos o senhor pode vir buscar.

Ele voltou vinte minutos depois. O bolo estava pronto. Ele olhou bem o bolo, examinou bem, afastou-se um pouco para olhar bem a obra de arte do confeiteiro e falou:

- Olha, eu queria mais bonito. Mais enfeitado, sabe. Mais colorido. E olha: em vez de “Feliz Aniversário”, escreve: “Felicidades mil!” O senhor não acha que fica melhor?

- É, fica – disse o confeiteiro meio desanimado. Mas pode passar daqui a meia hora que estará pronto.

Meia hora depois, o cara voltou:

- Como é? Gostou? – perguntou o confeiteiro.

O homem examinou o bolo longamente, fechou os olhos, coçou o queixo, releu a frase:

- Faz o seguinte: bota mais umas flores em volta do bolo. Mais cor. E aumenta aí a frase. O senhor não acha que pode ser uma frase mais expressiva?

- É... pode ser.

- Pois é. Põe aí: “Felicidades mil! Parabéns! Muito amor!” Isso: “Muito amor”, põe aí!

O confeiteiro conformou-se e fez todas as modificações. Algum tempo depois, o homem voltou.

- Ah, sim. Agora está lindo!

- Posso embrulhar? – perguntou o confeiteiro.

- Não, não precisa. Eu vou comer aqui mesmo!




Nenhum comentário:

Postar um comentário