terça-feira, 1 de abril de 2014

Tragédia Matemática


(A maneira de Millôr Fernandes)


Num certo livro de Matemática, um quociente apaixonou-se por uma incógnita.

Ele, o quociente, produto de notável família de importantíssimos polinômios.

Ela, uma simples incógnita, de mesquinha equação literal. Oh! Que tremenda desigualdade. Mas como todos sabem, o amor não tem limites e vai do mais infinito ao menos infinito.

Apaixonado, o quociente a olhou do vértice à base, sob todos os ângulos, agudos e obtusos. Era linda, uma figura ímpar e punha-se em evidência: olhar romboide, boca trapezoide, seios esféricos num corpo cilíndrico de linhas senoidais.

‒ Quem és tu? Perguntou o quociente com olhar radical.

‒ Eu sou a raiz quadrada da soma do quadrado dos catetos, mas pode me chamar de Hipotenusa. Respondeu ela com expressão algébrica de quem ama.

Ele fez de sua vida uma paralela à dela, até que se encontraram no infinito. E se amaram ao quadrado da velocidade da luz, traçando ao sabor do momento e da paixão, retas e curvas nos jardins da quarta dimensão. Ele a amava e a recíproca era verdadeira. Se adoravam nas mesmas razões e proporções no intervalo aberto da vida.

Três quadrantes depois, resolveram se casar. Traçaram planos para o futuro e todos desejaram felicidade integral. Os padrinhos foram o vetor e a bissetriz.

Tudo estava nos eixos. O amor crescia em progressão geométrica. Quando ela estava em suas coordenadas positivas, tiveram um par: o menino, em honra ao padrinho, chamaram de Versor; a menina, uma linda Abscissa. Ela sofreu duas operações.

Eram felizes até que, um dia, tudo se tornou uma constante. Foi aí que surgiu um outro. Sim, um outro. O máximo divisor comum, um frequentador de círculos viciosos. O mínimo que o máximo ofereceu foi uma grandeza absoluta.

Ela sentiu-se imprópria, mas amava o Máximo. Sabedor desta regra de três, o quociente chamou-a de fração ordinária. Sentiu-se um denominador comum, resolveu aplicar a solução trivial: um ponto de descontinuidade na vida deles.

Quando os dois amantes estavam em colóquio amoroso, ele em termos menores e ela de combinação linear, chegou o quociente e num giro determinante, disparou o seu 45.

Ela foi transformada numa simples dízima periódica e foi para o espaço imaginário e ele, foi parar num intervalo fechado, onde a luz solar se via através de pequenas malhas quadráticas.

(Autor desconhecido)


 Aula de Matemática

Pra que dividir sem raciocinar
Na vida é sempre bom multiplicar
E por A mais B Eu quero demonstrar
Que gosto imensamente de você
Por uma fração infinitesimal,
Você criou um caso de cálculo integral
E para resolver este problema
Eu tenho um teorema banal.
Quando dois meios se encontram desaparece a fração
E se achamos a unidade
Está resolvida a questão
Pra finalizar, vamos recordar
Que menos por menos dá mais amor
Se vão as paralelas
Ao infinito se encontrar
Por que demoram tanto os corações a se integrar?
Se infinitamente, incomensuravelmente,
Eu estou perdidamente apaixonado por você.

António Carlos Jobim/Marino Pinto (1958)


Motivação

Os pais já tentaram de tudo: aulas particulares, brinquedos educativos, centros especializados, terapia, nada adiantou.

Então ouvem dizer que há uma escola de freiras no bairro que é muito boa e resolvem fazer mais uma tentativa.

No primeiro dia, Joãozinho volta para casa com uma cara muito séria e vai direto para o quarto, sem nem mesmo cumprimentar a mãe. Ele senta-se na secretária e estuda, estuda sem parar.

A mãe chama-o para jantar. Ele janta a correr e volta imediatamente aos estudos. A mãe nem acredita. Isso dura já algumas semanas.

Um dia, Joãozinho volta para casa com o boletim, que entrega a mãe. Nota 20 em matemática!

A mãe não se contém e pergunta

‒ Filho, diz-me o que te fez mudar desta maneira? Foram as freiras?

Joãozinho balança a cabeça negativamente.

‒ O que foi, então?  insiste a mãe  Foram os livros, a disciplina, a estrutura de ensino, o uniforme, os colegas, O que foi?

Joãozinho olha para a mãe e diz:

‒ No primeiro dia de aulas, quando eu vi aquele tipo que estava a ir muito mal em matemática pregado no sinal de mais, percebi que elas não estavam a brincar.




 

2 comentários:

  1. bom dia preciso separa desse texto no minimo 30 palavras que se refere a matemática e seus significados alguem pode mim ajudar,enviar no email glemison2010@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Do primeiro texto:

      quociente:
      incógnita:
      Produto notável:
      Polinômio:
      Equação:
      Desigualdade:
      Limite:
      Infinito:
      Vértice:
      Base:
      Ângulo agudo
      Ângulo obtuso:
      Ímpar:
      Trapezoide:
      Ésferico:
      Cilíndrico:
      Raiz quadrada
      Hipotenusa:
      Catetos:
      Expressão algébrica:
      Paralelas:
      Retas:
      Curvas:
      Razões:
      Proporções:
      Intervalo:
      Quadrantes:
      Integral:
      Vetor:
      Bissetriz:
      Progressão geométrica:
      Par:
      Vetor:
      Abscissa:
      Máximo Divisor Comum:
      Regra de três:
      Dízima periódica:

      Depois, é só pesquisar na internet..



      Excluir