quinta-feira, 17 de abril de 2014

Pensamentos de Woody Allen


Woody Allen por Fraga



As vantagens do nudismo saltam aos olhos.

A maconha causa perda de memória e outra coisa que não lembro.

Morrer é como dormir, mas sem levantar-se para fazer xixi.

A inatividade sexual é perigosa e pode produzir cornos.

Hoje em dia a fidelidade só se vê em equipamento de som.

O negócio mais exposto à quebra é da venda de cristaleiras.

Alguns casamentos acabam bem, outros duram toda a vida.

O casamento é como a caderneta de poupança, de tanto botar e tirar se perdem os rendimentos.

O diabético não pode fazer lua-de-mel.

Quando tudo sobe, o que baixa é a roupa íntima.

Temos que trabalhar 8 horas e dormir 8 horas, mas não as mesmas.

Os japoneses não olham, espiam.

Qual o animal que depois de morto dá muitas voltas? O frango assado.

Quando um médico erra, o melhor é colocar terra por cima.

A música japonesa é uma tortura chinesa.

O eco sempre tem a última palavra.

Nos aviões, o tempo passa voando.

Os mosquitos morrem entre aplausos.

Meu pai vendeu a farmácia porque não havia mais remédio.

Os japoneses querem abrir seus olhos ao mundo.

Solucionar problemas econômicos é fácil: basta ter dinheiro.

Desfrute o dia, até que um imbecil o estrague.

É curioso que se chame de sexo oral uma prática que o que menos se pode é falar.

O bígamo é um idiota ao quadrado.

O mágico fez um gesto e desapareceu a fome, fez outro e desapareceu a injustiça, fez um terceiro e desapareceram as guerras. O político fez um gesto e desapareceu o mágico.



Woody por Liberati

Nenhum comentário:

Postar um comentário