sábado, 31 de outubro de 2015

A Lenda do rei Capenga-2



(Bastos Tigre)

- Com Prova de Texto -

Do livro: Comunicação Interpretação de Roberto Augusto Soares Leite, Amaro Ventura Nunes e Rosa Erman Companhia Editora Nacional. 

Em certo reino um rei havia
De nobre estirpe secular
Que começou, um belo dia,
Do pé direito capengar.

Um calo enorme era o motivo
Que dava ao rei um tal cacoete:
Calo feroz, duro, agressivo,
Plantado sobre o real joanete.

Mas essa causa assim plebeia
Ficava mal de publicar;
E toda a corte teve a ideia
De andar coxeando, a capengar.

Príncipes, duques e marqueses,
Viscondes, condes e barões
Andavam, coxos e corteses,
Com mil mesuras a capengar.

Desde a nobreza solarenga
Ao camponês da rude grei,
Tudo no reino era capenga
Para “engrossar” o velho rei.

E o rei sorria, satisfeito,
Por ser benquisto e popular;
Não era mais nenhum defeito,
Naquele reino, o capengar.

Mas eis que, um dia, um tipo surge,
Em passo firme, andando bem;
O povo, unânime, se insurge,
E a corte a fúria não contém.

Possessa, diz toda a cidade:
– Castigo dê-se-lhe, exemplar!
Crime é de lesa-majestade
Viver, aqui, sem capengar.

É preso o infame; e logo o júri
Se reúne ali dos cidadãos,
Para que o crime, enfim, se apure,
E o vil, da lei, caia nas mãos.

E clama o júri: - o reino insulta!
O nosso rei tenta aviltar!
E ruge e freme a turbamulta,
De um lado a outro, a capengar.

Mas fala o réu: - Por Jesus Cristo,
Não me mandeis para as galés!
Se ando direito é só por isto
Eu sou capenga dos dois pés...

01) O rei começou a capengar porque:

(A)  era moda.
(B)  a lei o exigia.
(C)  os médicos não curaram os ferimentos da batalha.
(D)  o calo lhe doía no pé.
(E)  queria ver quais eram os súditos fiéis.

02) Ficava mal publicar o verdadeiro motivo que levava o rei a capengar porque:

(A)  não havia realmente nenhum motivo. .
(B)  o motivo não era nobre.
(C)  o povo gostava do seu rei.
(D)  esse defeito era considerado crime
(E)  o rei era de estirpe secular.

03) Toda a corte (e depois a burguesia e o povo) começou a capengar. O verdadeiro motivo para isto era:

(A)  bajulação.  .
(B)  irreverência. .
(C)  gozação.
(D)  compaixão.
(E)   inconformismo

04) A palavra do texto que confirma o motivo que você apontou no item anterior é:

(A)  solarenga.
(B)  benquisto.
(C)  “engrossar”
(D)  esdrúxulo.
(E)   plebeia.

05) Assinale o dito popular que se pode aplicar a tal situação.

(A)  Em terra de cego quem tem um olho é rei.
(B)  Palavra de rei não volta atrás.
(C)  Rei morto, rei posto.
(D)  Dai a César o que é de César.
(E)  Agrada ao rei e terás seus favores.

06) O tipo que surge andando bem é acusado de crime e infâmia. Desse fato podemos concluir que:

(A)  crime e infâmia são conceitos imutáveis em qualquer parte do mundo
(B)  os conceitos de crime e infâmia se baseiam muitas vezes em interesses e convenções arbitrárias.
(C)  só os juizes podem decidir, sem erro, o que é crime e infâmia.
(D)  as leis só existem para condenar os criminosos.
(E)  louco não responsável perante a lei.

07) Ao se justificar dizendo: “Eu sou capenga dos dois pés...”, pode-se dizer que o réu se lembrou do ensinamento contido no seguinte provérbio:

(A)  Em terra de louco, faze-te de louco.
(B)  Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje.
(C)  Quem com ferro fere com ferro será ferido.
(D)  Duro com duro não faz bom muro.
(E)   Quem ama o feio bonito lhe parece.

08) A justificativa do réu revela:

(A)  timidez.
(B)  petulância.
(C)  covardia.
(D)  subserviência.
(E)  sagacidade.

09) A atitude do indivíduo que “... surge / Em passo firme, andando bem ...” pode ser caracterizada pela seguinte expressão popular:

(A)  “maria-vai-com-as-outras”.
(B)  “puxa-saco”.
(C)  “pau-mandado
(D)  “cara-de-pau!”
(E)   “testa-de-ferro

10)  Assinale o item em que a explicação não corresponde à significação da palavra na frase:

(A)  “... um tal cacoete ...”                    - um tal defeito
(B)  “Com mil mesuras ...”                   - com mil salamaleques
(C)  “O modo esdrúxulo de andar”       - o modo esquisito de andar
(D)  “O nosso rei tenta aviltar!”            - o nosso rei tenta humilhar
(E)  “Não me mandeis para as galés!”  - não me mandeis para as colônias.

11) Nobreza solarenga é a que vive:

(A)  nas mansões.
(B)  ao sol.
(C)  a bajular.
(D)  com roupas ricas
(E)   em caçadas

12) Assinale o único item cujo significado, segundo o texto, não se relaciona com grei (nação):

(A)  turbamulta.
(B)  povo
(C)  estirpe
(D)  plebe
(E)   burguesia

13) O autor diz que o rei era “de nobre estirpe secular”. Na sua opinião, o que significa isso?

(A)  Significa que a sua nobreza já vinha de muitos séculos, de muitas gerações.
(B)  Significa que o rei tinha quase cem anos de idade.
(C)  Significa que o seu reinado iria ainda durar mais cem anos.
(D)  Significa que os seus familiares viviam quase cem anos.
(E)  Significa que o povo o adorava há cem anos.

14) Por que se diz: “Não era mais nenhum defeito, / Naquele reino, o capengar.”

(A)  porque os capengas não tinham vergonha de capengar.
(B)  se todo mundo capengava, deixou de ser defeito; passou a ser o normal.
(C)  porque o reino obrigou os seus súditos a capengar.
(D)  porque os verdadeiros capengas foram favorecidos.
(E)  porque os nobres criticaram o povo por capengar.

15) A justificativa do réu: “- Eu sou capenga dos dois pés...” poderia ser aceita, naquelas circunstâncias, para inocentá-lo? Por quê?

(A)  porque ele era verdadeiramente capenga dos dois pés.
(B)  porque ele tinha joanetes nos dois pés.
(C)  porque, apesar de ser capenga, caminhava normalmente.
(D)  porque ele não conhecia os costumes do reino.
(E)  porque, naquela circunstância, qualquer desculpa seria válida para salvar a pele.

16)  Haveria outra maneira de mostrar ao rei que ele era benquisto e popular que não fosse o andar capegando?

(A)  Sim, dizendo-lhe, simplesmente, que o seu mal era um ridículo calo que o eliminasse.
(B)  Não, pois ele era feliz assim.
(C)  Sim, o povo deveria continuar capengando, pois isso fazia o rei ficar contente.
(D)  Não, o rei era inflexível e todos deveriam imitá-lo em tudo que ele fizesse.
(E)  Sim, ignorando os defeitos de seu rei

*****

GRADE DE RESPOSTAS (MARQUE COM APENAS UM X)

01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16
A


X



X



X

X


X
B

X



X







X


C



X







X




D
X







X







E




X


X

X




X


A grade acima já está com o gabarito das respostas certas.

Valor das questões:

01 -   0,62
02 -   1,25
03 -   1,87
04 -   2,50
05 -   3,12
06 -   3.75
07 -   4,37
08 -   5,00
09 -   5.62
10 -   6,25
11 -   7,87
12 -   7.50
13 -   8,12
14 -   8,75
15 -   9.37
16 - 10.00

Observação: as notas podem ser arrendondadas para cima ou para baixo: acima de 0, 50 para cima, abaixo, 0,50 para baixo.

3 comentários:

  1. Gostaria de saber o gabarito, eu respondi assim: D, B, D, B, E, B, A, D, D, D, B, C, A, , B, E,

    ResponderExcluir
  2. Gabarito da prova: 1-D, 2-B, 3-A, 4-C, 5-E, 6-B, 7-A, 8-E, 9-D, 10-E, 11-A, 12-C, 13-A, 14-B, 15-E

    ResponderExcluir