terça-feira, 4 de novembro de 2014

Conselhos do Cura




Para toda a gauchada
Canto a minha saudação.
Eu não tenho voz bonita,
Mas eu tenho coração.
Eu sou padre que nas rimas
Vai deitando o seu sermão.

Vou trovar algumas normas
Pra vocês não esquecer.
Vou mostrar-lhes, sem rodeios,
O caminho do dever.
Quem o segue – está na cara –
Paz e bênçãos há de ter.

Casamento não é sopa,
Mas é santa vocação.
Matrimônio é sacramento:
Parte faz da religião.
Eu sou o padre das rimas
Deve dar o seu sermão.

No civil e pelo padre
É preciso estar casado,
Quem não “casa” civilmente
Não tem lar assegurado;
Que não casa pelo padre
Ele “casa” no pecado.


Liberdade é coisa santa
Que nos deu a Providência.
Não é livre que acolhe
O pecado na querência.
Não é livre quem despreza
O que diz a consciência.

O católico direito
Cumpre toda a obrigação
Na cidade e na campanha,
Nos cafés e no salão,
Na igreja e na família,
No lazer, na profissão.

O católico direito
Nunca vai de marcha-ré.
Praticando as boas obras
Esporeia a sua fé.
E, feliz no seu palácio,
Ou no rancho de sapé.

Vou findar a minha trova
Entenderam muito bem!
São Miguel, o padroeiro,
Nos conduza para o além.
Voltarei num outro dia,
Falta só dizer: ”amém”.



Cônego Wiro Rauber foi Vigário da Igreja São Miguel,
da cidade de Uruguaiana.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário