quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Historietas humorísticas

       


Do falecido juiz Holmes da Corte Suprema Americana, afirmou uma ocasião que as criaturas podem sempre chegar a um acordo, se o tentarem com persistência. Como exemplo, citava esta conversa entre fazendeiros do Minnesota, que há muito tempo não se viam:
- Alô, Axel! Que é que você tem feito?
- Estive no hospital.
- Que azar!
- Que nada, foi uma sorte. Me casei com a enfermeira.
- Que sorte!
- Não, foi um azar; ela tinha nove filhos.
- Que azar!
- Não, foi uma sorte, ela tinha uma grande casa.
- Que sorte!
- Não foi uma azar; a casa queimou.
- Que azar!
- Não foi uma sorte; ela morreu no incêndio.
- Que sorte!
- Isso sim, e que foi uma sorte!

Veja se resolve isto

Do livro Riddles in Mathematics, de Eugene P. Northrop

Imagine uma enorme folha de papel de seda, da espessura de um milésimo de centímetro. Corte agora o papel ao meio e coloque uma metade em cima da outra. Depois corte as duas metades ao meio e una-as novamente, fazendo, portanto, uma pilha de quatro pedaços de papel. Corte também esses pedaços ao meio, formando nova pilha, de oito pedaços. Continue nessa “brincadeira” até ter cortado o papel 50 vezes. Qual será a altura da pilha final?

Resposta:

Algumas pessoas dirão que a pilha de papel subirá a meio metro de altura; outras afirmarão que são 50 metros. Um ou outro chegará talvez a dizer que a solução é um quilômetro. Nenhum desses estará certo. Na verdade, a pilha terá aproximadamente 11.260.000 quilômetros!

Depois do primeiro corte, haverá duas folhas de papel. Cortadas essas, serão 4 folhas, isto é, dois elevado à segunda potência. Após o 50° corte, o número de folhas será igual a 50ª potência de 2, ou sejam, aproximadamente, 1.126.000.000.000.000. Visto que uma pilha de 1.000 folhas tem um centímetro de altura, a pilha final terá a altura de 1.126.000.000.000 centímetros, ou sejam, 11.260.000 quilômetros...





Nenhum comentário:

Postar um comentário