domingo, 30 de março de 2014

Cacófatos

Cacófato Þ palavra obscena ou descabida resultante do encontro de fonemas ou sílabas de vocábulos contíguos. É considerado um dos vícios de linguagem.

Poema de cacófatos


No cume daquela serra,
eu plantei uma roseira.
O mato no cume cresce,
a rosa no cume cheira.

Na hora do entardecer,
tudo no cume aparece.
Vaga-lumes no cume brilham,
cobra do cume desce.

                                                        Quando cai a chuva fina
                                                        salpicos no cume caem.
                                                        Lagartos no cume entram,
                                                        abelhas no cume saem.

                                                        Mas depois que a chuva cessa,
                                                        no cume volta a alegria.
                                                        Voltando a brilhar depressa.
                                                        o sol que no cume ardia.


Quadrinha popular

Menina, me dai tabaco
Dessa vossa bocetinha,
Que a minha ficou em casa
Fechada na gavetinha.

Marcha carnavalesca

Cuba vai lançar foguete,
O Brasil vai lançar também!
Lança, Cuba, lança.
Quero ver Cuba lançar!

Autores: H. Romeu Pinto, C. Bento e Jacinto Leite Aquino Rego.


Poeminha 1

Meu coração por ti gela,
Meus amores por ti são.
Já que não posso amar ela,
Já nela não penso não!


Poeminha 2

No dia que tu me tinhas,
Eu não queria te ter.
Agora que eu te tenho
É tu que não quer me ter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário