sexta-feira, 28 de março de 2014

Dodecálogo do bebedor competente




01. A bebida, como o corpo, divide-se em três partes: antes da refeição, durante a refeição e depois da refeição.

02. Não se deve encher muito o bucho de bebida antes das refeições porque senão não sobra lugar para mais bebida durante as refeições. É conveniente também não beber tudo que se tem a beber durante as refeições para não estragar o prazer das bebidas de após as refeições.

03. Nunca esquecer o conselho milenar: quando a bebida começa a prejudicar o trabalho, maneirar no trabalho.

04. Um bom copo antes de dormir (night-cap, não confundir com night-cup) ajuda conciliar o sono. Mas, caso você necessite passar uma noite em claro, um bom copo também é aconselhável.

05. Deve-se beber moderadamente, isto é, um pouco todos os dias. Ou, se isso não é possível, muito, sempre que der. Quer dizer, o uso, sempre, vale tanto quanto o abuso, ocasional. Porém, entre o uso apenas ocasional e o abuso permanente, prefira este. Mas, olha: abusar também é uma arte que se deve aprender.

06. É melhor um bom uísque do que uma letra protestada. É muito melhor um bom copo de vinho do que a notícia de que acabamos de falir.

07. Como dizia o falecido Humphrey Bogart: “Todo homem nasce duas doses abaixo do normal”. Isso, os homens normais.

08. Quando você diz que bebe porque aprecia beber, você está apenas dizendo uma verdade parcial. Você bebe porque não há nenhum outro interesse na vida. Viver é beber.

09. Dizem os chineses que, bebendo com três amigos, você tem que tomar cuidado pra não beber mais do que o que bebe mais nem menos do que bebe menos. Assim, o que bebe mais não o achará um sórdido abstêmio nem o que bebe menos dirá que você é um bêbado inveterado. Quando você beber apenas com um amigo, o negócio é encher em quantidade idêntica o copo dele e o seu enquanto ele, gentilmente, encherá o seu e o dele, igual por igual. Mas, se você é desses desesperados dipsomaníacos, que bebem sozinhos, ergue suas mãos trêmulas (de emoção, embora os inimigos digam que é delirium tremens) para os céus, apertando entre elas, nesse gesto de prece, a sua dose de uísque. E reflete, como Omar Kayan, que a felicidade do homem mora no fundo de um copo.

10. Quando lhe oferecerem uma bebida ruim, ou fora de hora, ou fora de propósito, ou inadequada à sua competência ocasional, ou à geografia da ocasião, diz, gentilmente: “Obrigado, eu não bebo”.

11. Quando a comida for boa, bebe para acompanhá-la. Quando a comida for ruim, bebe para suportá-la. Se for boa, bebe em homenagem dela. Se a mulher lhe abandonou, bebe para esquecê-la. Bebe.

12. Enaltece a bebida que vais oferecer aos amigos, antes de servi-la. Se forem conhecedores, reconhecerão o seu conhecimento. Se não são, ficarão influenciados. E, quando concordarem com você, e você ficar satisfeito com os elogios, e, por sua vez, elogiá-los pelo conhecimento que tem das bebidas que bebem, eles passarão a achar a bebida cada vez mais extraordinária e estará formada a roda de emoção e orgasmo do mundo alcoólico. Que os abstêmios não conhecem. Nem sequer compreendem.

(Autor desconhecido)





Nenhum comentário:

Postar um comentário