domingo, 5 de junho de 2016

A primavera

Pedro Vás*


                             A primavera

é a cascata de flores na praça
é a dança alada das cores
é o sentido alterado do olfato
é a batida apurada del cuore.

A mão da musa
despetala a rosa:
bem-me-quer, mal-me-quer,
um pra-lá, um-pra-cá.
E daí um ninho na cabeça dela.

                                                                     A primavera

é a dança de flores no olfato
é a cascata alada nel cuore
é o sentido apurado das cores
é a batida alterada da praça

O olho do poeta
despetala a musa:
mal-me-quer, bem-me-quer,
uma pra-cá, um pra-lá.
E cai um verso na cabeça dele.

A primavera

é sentido de flores nel cuore
é a dança apurada na praça
é a cascata alterada das cores
é a batida alada no olfato.



*Heterônimo de João Antônio Pereira, 
no livro “A Rígida Fluidez dos Ventos”



Nenhum comentário:

Postar um comentário