segunda-feira, 20 de junho de 2016

Os Direitos dos Fumantes


Esclarecimento:

Muitas pessoas têm um ente querido que sofre de moléstia causada pelo tabagismo. Isso poderia ser evitado se o fumante, ainda com saúde, desse um basta nesse maldito vício que ceifa muitas vidas. O texto, pode até ser um pouco impactante, mas o seu propósito é conscientizar as pessoas para que nunca fumem e, os que ainda fumam, deixem de fumar.


01 – Todo fumante tem direito a seu câncer de pulmão ou, na ausência deste, à sua bronquite crônica, à sua cardiopatia isquêmica ou a doenças similares associados ao tabaco, desde que estas possam, no mínimo, reduzir a expectativa de vida.

02 – Todo fumante tem direito a poluir o ambiente de trabalho e de suas casas, principalmente se tiver filhos pequenos, suscetíveis aos problemas causados pelo tabaco.

03 – Todo fumante tem direito a provocar incêndios, sendo necessário reservar matas nativas para esse fim.

04 – Todo fumante tem direito a desagradável aparência dos dedos manchados e, ainda, ao hálito de fumante.

05 – Todo fumante tem direito a assinalar sua passagem com o cheiro de cigarro.

06 – Toda mulher grávida fumante tem direito a prejudicar o feto com o uso do cigarro.

07 – Todo fumante tem direito a estimular o contrabando de cigarro, de modo que o produto nunca falte.

08 – Todo fumante tem direito a exigir dos fabricantes a seleção de plantas com maior teor de nicotina.

09 – Todo fumante tem direito de gastar o dinheiro que deveria ser destinado ao bem-estar de sua família com cigarros.

10 – Todo fumante tem direito ao reconhecimento de sua condição como dependente de substâncias que o transformam num autômato sem vontade.


P.S. Os fumantes exigem que sua voz seja ouvida. Compete aos não fumantes ouvirem-na. Mesmo porque a voz de um fumante pode não durar muito.


O pulmão à esquerda pertenceu a um homem de 49 anos, morto em um acidente de trabalho. O pulmão à direita pertenceu a uma moça, fumante por 15 anos, que morreu com 38 anos de idade, deixando uma filha de 11, uma de 9 anos e um bebê de 5 meses. Marque uma data nas próximas semanas e pare de fumar! Não fume perto de ninguém! Não fume, nunca, em hipótese alguma, perto de crianças! Reduza a quantidade de cigarros ao dia! Dia 31 de maio é o dia Internacional de combate ao fumo...


→ A Vida de uma pessoa que fuma 15 cigarros por dia é reduzida, em média, 5 anos.

→ Uma pessoa que fuma um maço de cigarros por dia tem probabilidade 20 vezes maior de desenvolver câncer de pulmão do que uma pessoa que não fuma.

→ Uma pessoa que fuma tem o dobro de chance de vir a ter doenças cardiovasculares do que uma pessoa que não fuma.

→ Para as grávidas que fumam (tirado da Revista Veja de 14/07/99, pág. 33): "O tabaco pode apresentar uma ameaça à adolescência das crianças. Entre os meninos quadruplicam os riscos de distúrbios de comportamento. E entre as meninas cresce cinco vezes a propensão à dependência de drogas."

→ Uma pessoa que fuma tem 20 vezes mais chances de desenvolver bronquite crônica (os brônquios secretam excesso de muco e os cílios responsáveis pela eliminação desse muco passam a funcionar mal; o muco fica assim acumulado nos brônquios e bronquíolos, que inflamam, e a pessoa passa a tossir muito e a ter dificuldade em respirar) e enfisema pulmonar (rompimento dos alvéolos, com redução da área para as trocas gasosas) do que uma pessoa que não fuma.

→ O fumante tem 7 vezes mais chances de desenvolver úlceras e câncer de estômago que os não-fumantes.

→ Envelhecimento precoce de todas as células do organismo pela diminuição do aporte de oxigênio no sangue (5% menos) e consequente aumento de radicais livres, bem como diminuição do tempo de vida.

→ Fumar na gravidez representa perigo para o feto: há o dobro de risco de aborto, de nascimentos prematuros e de morte de fetos; quando isso não ocorre, o bebê de uma gestante fumante terá menor peso no nascimento.

→ Os fumantes obrigam os não-fumantes a fumar, pois os não-fumantes confinados em ambientes fechados, como carros, escritórios, salas de espera, bares, restaurantes e outros, são afetados pela fumaça do cigarro dos fumantes; respirando passivamente essa fumaça, os não-fumantes podem, ao longo do tempo, desenvolver os mesmos problemas circulatórios e respiratórios que os fumantes. Filhos de pais fumantes, por exemplo, têm o dobro de chance de contrair pneumonia ou bronquite no primeiro ano de vida.

→ Aparecimento de asma, gripes constantes com recuperação lenta. O fumante perde o fôlego aos menores esforços, com tosses frequentes, pigarro ou catarro constante.

→ Agravamento de doenças como hipertensão, diabetes, colesterol alto, cardiopatias, doenças vasculares - derrames (principalmente em associação à pílula anticoncepcional-AVC) e doenças pulmonares.

→ O alcatrão, assim como algumas das centenas de substâncias catalogadas contidas na fumaça do cigarro, são considerados de grande potencial cancerígeno, sendo responsável pela maior incidência de câncer de pulmão, boca, laringe, esôfago, estômago, próstata, bexiga, cólon e outros órgãos.

→ Maiores riscos e maior dificuldade na recuperação após intervenções cirúrgicas.

→ Pele do rosto acinzentada, dentes escuros e dedos da mão amarelados. Suspeita-se que algumas das mais de 4.000 substâncias presentes na fumaça do cigarro possam causar alterações genéticas.

→ No homem, maior tendência à impotência sexual, principalmente em associação a outros fatores de riscos como stress, hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares, etc. Diminuição da mobilidade dos espermatozóides, aumentando a possibilidade de infertilidade masculina.

→ Dependência física e psíquica de uma substância, que nem sempre se encontra à mão, além do número cada vez menor de locais públicos onde é permitido fumar.

→ Dificuldade de convivência com outras pessoas ou parceiros que não fumam, além da transformação de seus filhos em fumantes passivos indefesos, sem considerar o mau exemplo.

→ Má aceitação social por parte de número cada vez crescente de amigos que não fumam ou que deixaram de fumar, e o consideram uma pessoa displicente com sua própria saúde, sem força de vontade e, pior ainda, egoísta por impor-lhes sua poluição particular.

→ Mau hálito e impregnação de roupas, cabelo, objetos e ambiente doméstico pelo cheiro do cigarro.

→ Maior dificuldade de emprego, visto a tendência atual de preferência a não fumantes.

→ Aumento dos gastos mensais com pacotes de cigarro, medicamentos para tratar as doenças relacionadas ao tabagismo e custos mais altos das apólices de seguro de vida e de saúde para fumantes.




Nenhum comentário:

Postar um comentário