quinta-feira, 23 de junho de 2016

O Homem ao Quadrado




Leon Eliachar

Definição de Humorismo:

→ Humorismo é a arte de fazer cócegas no raciocínio dos outros. Há duas espécies de humorismo: o trágico e o cômico. O trágico é o que não consegue fazer rir; o cômico é o que é verdadeiramente trágico de se fazer.

Dicionário de bolso:

→ Adiar - é essa atitude que estamos sempre tomando daqui a pouco.

→ Buzina - é esse ruído que irrita o motorista da frente quando o de trás já está irritado.

→ Cabotino - é esse sujeito que consegue transformar qualquer assunto numa autobiografia.

→ Técnico - sujeito que se especializa em não entender nada de apenas uma matéria.

→ Zarolho - sujeito que tira uma pequena para dançar e saem as duas.

→ Datilógrapha conservadora é a que não se conphorma com a ortographia moderna.

→ Dalitófraga estrábica é a que passa o dia inreito trocadno as lestra e as síbalas.

→ Datilgfa pregç n/ precis nem compl as plavras.

→ Datilógrafa de kolunixta çossial tem de comtar mezmu é com a revizãu.

Cartas:

– Sou branca, meu marido é branco e tivemos um filho preto. Como o senhor explica isso?
(Jandira - Ceará)
– Lamento muito, mas quem tem de se explicar é a senhora. Vocês que são brancos que se entendam.

Acidente:

Leocádia era dessas que tinha verdadeira alucinação por "lingerie". Pra ela, o mais importante na linha da elegância era a roupa de baixo. Todos os dias, chegava em casa, abria os embrulhos na frente do marido, exibia calcinhas com bordadinhos e rendinhas de todas as cores e de todas as qualidades de tecidos. O marido não entendia:
– De que adianta tudo isso, se ninguém vê?
Ela sorria orgulhosa:
– É o que você pensa. Pode dar um ventinho na rua, sabe lá?
Um dia ele estava no escritório, quando o chamaram ao telefone. Era do Hospital dos Acidentados, pra lhe comunicar que a sua mulher havia sofrido um desastre. Correu pra lá e assim que fez a descrição da mulher, um enfermeiro disse pro outro:
– Ei, você aí. Leve este senhor naquele quarto. Está procurando aquela senhora sem calça.
Teve um troço, foi medicado ali mesmo. Duas semanas depois de Leocádia ter alta, ele continuou no Hospital, em convalescença.


Leon Eliachar nasceu no Cairo em 1922 e veio para o Brasil com dez meses de idade. Dizia-se um "cairoca". Sua  definição de humorismo ganhou o primeiro prêmio na IX Exposição de Humorismo Internacional realizada em Bordighera, Itália. Textos extraídos do livro "O homem ao quadrado", Livraria Francisco Alves - Rio de Janeiro, 1963, pág. 15, 37, 63.

Verdades Inadiáveis

O cigarro não provoca o câncer. O câncer, sim, é que vive provocando o cigarro.

O pior cego não é aquele que não quer ver: é aquele que não quer ser visto.

Pior do que a criança do vizinho só a nossa -- segundo o nosso vizinho.

Um homem prevenido vale por dois, dois homens prevenidos não sobra nenhum.

Saca-rolha é esse instrumento que foi inventado pra empurrar a rolha para dentro da garrafa.

A alegria do geômetra é ver o círculo pegar fogo.

O que mais pesa em cima de um travesseiro é a consciência.

Só uma coisa o homem faz questão de acompanhar durante toda a sua vida com verdadeiro carinho: a queda dos cabelos.

Liberdade de imprensa é fácil. Difícil é ser jornalista livre.

Sogra é esse parente afastado que se torna cada vez mais próximo.

Como evoluiu a odontologia: cada dia se inventa um aparelho diferente pra provocar uma dor diferente.

Pai moderno é uma ilha de afeto cercada de contas por todos os lados.

Da discussão não nasce a luz, nasce a conta da luz.

A grande luta dos anunciantes de sabão em pó é querer tornar o seu branco mais branco que o do outro.

Faquir é esse sujeito que fica deitado sobre pregos pra ganhar o seu pão de cada 100 dias.

Pediatra é um sujeito de profissão difícil: tem de agradar as mães sem prejudicar a saúde das crianças.

O sim mais caro do mundo o homem deposita na igreja e a mulher fica sacando o resto da vida.

Agora que existe o parto sem dor só falta inventarem a conta com anestesia.

Marido é um homem que passa a metade da vida procurando uma mulher e a outra metade tentando livrar-se dela.

É mais cômodo ter três mulheres fora de casa do que um dentro.

Uma mulher é uma mulher, uma mulher, uma mulher. Às vezes, uma rosa.

O crime perfeito leva tanto tempo para ser planejado que às vezes o criminoso morre antes da vítima.

O chato da bebida não é o mal que ela nos pode trazer, são os bêbados que ela nos traz.

Não são o cavalheiros que estão acabando, é o "h" que já não se usa mais.

Pontualidade é a coincidência de duas pessoas chegarem com o mesmo atraso.

Segredo é isso que vai rolando de ouvido em ouvido e volta sempre com mais detalhes.

Viver honestamente é fácil, o difícil é viver desonestamente.

O homem se casa para vencer a solidão, a mulher para ficar só.

Acho uma rosa uma mensagem definitiva, porque custa menos que um telegrama e diz muito mais.

Herói é o sujeito que teve a sorte de escapar vivo.

Vício é o que sempre estamos fazendo pela última vez.

Aprecio as quatro estações, mas prefiro o verão no inverno e o inverno no verão.

É assim, irmão – convém não esquecer que o dinheiro não é tudo na vida. Tudo na vida é a falta de dinheiro.

Humor é a arte de fazer cócegas no raciocínio.

Disco voador é objeto que ninguém identifica, mas todo mundo fotografa.

O pior cego não é aquele que não quer ver: é aquele que não quer ser visto.

O que mais pesa em cima de um travesseiro é a consciência.

Não são os cavalheiros que estão acabando, é o “h” que já não se usa mais.

O crime perfeito leva tanto tempo para ser planejado que às vezes o criminoso morre antes da vítima.

Agora que existe o parto sem dor só falta inventarem a conta sem anestesia.

Pai moderno é uma ilha de afeto cercada de contas por todos os lados.

A grande luta dos anunciantes de sabão em pó é querer tornar o seu branco mais branco que o do outro.

Pediatra é um sujeito de profissão difícil: tem de agradar as mães sem prejudicar a saúde das crianças.

Da discussão não nasce a luz, nasce a conta da luz. 

*****

Leon Eliachar

Seus livros foram avançadíssimos para a época em que foram lançados, combinando de forma fenomenal os textos com capas e desenhos de Cyro Del Nero, Fortuna, Gian e Juarez Machado. Leiam "O Homem ao Zero", Editora Expressão e Cultura - Rio de Janeiro, 1968, págs. diversas, de onde extraímos o texto acima, "O Homem ao Cubo", "O Homem ao Quadrado", "A Mulher em Flagrante" e "10 em Humor".

Leon Eliachar foi assassinado na cidade do Rio de Janeiro, em 29 de maio de 1987. Segundo o noticiário da época, a mando de um rico fazendeiro paranaense com cuja esposa o autor vinha mantendo um romance



Nenhum comentário:

Postar um comentário