segunda-feira, 13 de junho de 2016

Como parecer alguém num restaurante, mesmo sendo ninguém.





→ Cuide para que o maître chame você pelo nome.

→ Cuide para que a recepcionista chame você pelo nome.

→ Cuide para que o bartender chame você pelo nome.

→ Cuide para que o garçom chame você pelo nome;

→ Cuide para que o sommelier chame você pelo nome.

→ Cuide para que o lavador de pratos chame você pelo nome.


Se pedir um vinho, peça com classe.




Leia o rótulo e feche a cara. Aspire o bouquet no copo com ar de quem tem informações importantes.

→ Feche os olhos ao saborear o vinho.

→ Nunca descreva o vinho como sendo simplesmente “bom”. Diga “divino”, “delicado”, “rascante”, “embriagador”, “estimulante”, “formidável”, “pungente”.

→ Ao abrir os olhos, troque olhares de entendido com o cara que serve o vinho e que permanece em posição de sentido, aguardando a sua decisão.

→ Olhe para o rótulo, comente a  vindima (Foi um ano bom). Sorria lentamente, e, depois de um longo silêncio carregado de suspense, balance um pouco a cabeça, manifestando a sua aprovação.

→ Ao pedir uma bebida, não deixe de especificar a marca. “Four Roses”, ganha de bourbon, “Chivas Regal” soa melhor do que uísque.

→ Ignore a marca da casa.

→ Nunca peça cerveja. Peça uma que tenha o malte importado.

→ Lembre-se: Reclame sempre de pelo menos um prato do menu. Em voz alta para que todos possam ouvi-lo.

→ Como anfitrião, convém demonstrar sua intenção de pagar o almoço. Mas certifique-se de que os outros apanhem a nota antes de você.

→ Sorria e fale do próximo almoço: “Da próxima vez, é por minha conta”.





Nenhum comentário:

Postar um comentário