domingo, 17 de abril de 2016

Cantigas de roda


Marcha Soldado

Marcha, Soldado,
Cabeça de Papel,
Se não marchar direito
Vai preso pro quartel.

O quartel pegou fogo,
A polícia deu sinal.
Acuda, acuda, acuda
A bandeira nacional.

O Cravo e a Rosa

O Cravo brigou com a rosa,
Debaixo de uma sacada.
O Cravo ficou ferido,
E a Rosa despedaçada.

O Cravo ficou doente,
A Rosa foi visitar.
O Cravo teve um desmaio.
A Rosa pôs-se a chorar.

Ciranda Cirandinha

Ciranda, Cirandinha,
Vamos todos cirandar.
Vamos dar a meia volta,
Volta e meia vamos dar.

O Anel que tu me deste
Era vidro e se quebrou.
O amor que tu me tinhas
Era pouco e se acabou.

Por isso dona Rosa
Entre dentro desta roda,
Diga um verso bem bonito,
Diga adeus e vá se embora.

Nesta Rua

Nesta rua, nesta rua, tem um bosque,
Que se chama, que se chama, Solidão.
Dentro dele, dentro dele mora um anjo.
Que roubou, que roubou meu coração.

Se eu roubei, se eu roubei teu coração.
É porque tu roubaste o meu também.
Se eu roubei, se eu roubei teu coração,
É porque eu te quero tanto bem.

Se esta rua, se esta rua fosse minha.
Eu mandava, eu mandava ladrilhar,
Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhante,
Para o meu, para o meu amor passar.






Nenhum comentário:

Postar um comentário