segunda-feira, 19 de maio de 2014

As leis Murphy da Guerra


→ O fogo inimigo nem sempre o é.

→ Se o plano é idiota, mas funciona, não é idiota.

→ Tente parecer sem importância: o inimigo pode estar com pouca munição e não querer gastá-la com você.

→ Se você estiver adiante de sua posição, sua artilharia atirará curto.

→ Nunca divida a trincheira com alguém mais valente que você.

→ Se sua arma falhar com frequência, nunca se esqueça de que ela foi fabricada por quem ofereceu o menor preço.

→ Se o seu ataque estiver ocorrendo conforme o planejado, você está numa emboscada.

→ A finta inimiga que você ignorou é o ataque principal.

→ O inimigo sempre ataca quando ele está pronto; mas você não.

→ Nenhum plano de operações sobrevive ao primeiro contato.

→ Todos os planos estão sujeitos a falhas, porque os idiotas são muito criativos.

→ Os estopins regulados para cinco segundos sempre detonam antes de três.

→ As missões importantes são sempre simples; as simples são sempre complicadas.

→ O trajeto mais curto está sempre minado.

→ O trabalho em equipe é essencial, pois dá ao inimigo mais gente em quem atirar.

→ Tente não parecer suspeito, porque os suspeitos atraem tiros.

→ Nunca pare de atirar, pois isto irrita todos à sua volta.

→ Se você sente falta de tudo, exceto do inimigo, você está na zona de combate.

→ Quando você considerar uma área como conquistada, não se esqueça de avisar o inimigo.

→ Os fogos contra você têm sempre a preferência.

→ Se o inimigo está no alcance de sua arma, certamente você também está no alcance da dele.

→ A única coisa mais eficiente do que o fogo inimigo contra você é o fogo amigo que atinge você.

→ Tudo que deveria ser enviado em conjunto vem em remessas separadas.

→ Os rádios começam a falhar assim que você precisa de apoio de fogo.

→ Os radares tendem a falhar à noite, em mau tempo e, especialmente, quando as duas situações ocorrem.

→ Qualquer coisa que você faça pode matá-lo. Inclusive, não fazer nada.

→ Nunca se esqueça de que a munição traçante ajuda tanto você como o inimigo.

→ O termo “Inteligência Militar” é uma contradição.

→ O único item de que você precisa é o que está sempre em falta.

→ Peças que deveriam servir para vários equipamentos costumam não se ajustar a nenhum.

→ O uniforme de tamanho único não fica bem em ninguém.

→ Nunca se interesse por nada que tenha escrito "a quem possa interessar".

→ Em caso de dúvida, atire.

→ O lado que tem os uniformes mais simples é o que costuma vencer.

→ O combate sempre ocorre em uma área que requer a junção de dois mapas.

→ Se seu comandante pode ver você, o inimigo também pode.

→ Não há nada mais perigoso no mundo do que um segundo-tenente com uma carta e uma bússola, tentando se localizar.

→ O inimigo só presta atenção quando você comete erros.

→ O uniforme limpo e seco atrai lama e chuva.

→ Quanto pior o tempo, mais você terá que se deslocar.

→ Quanto mais sofisticada é a arma, mais longe você tem que enviá-la para reparo.

→ A complexidade de uma arma é inversamente proporcional ao QI do operador.

→ Experiência de combate é algo que você não tem até precisar dela.

→ Não importa a direção em que você tem que marchar; é sempre morro acima e contra o vento.

→ Quando você procura as rádios frequências que anotou, as mais importantes estão sempre ilegíveis.

→ A medalha de bravura apenas prova que você foi esperto o suficiente para elaborar um plano, estúpido o suficiente para pô-lo em prática e teve sorte suficiente para sobreviver.

→ O raio de ação de uma granada tem sempre um metro a mais do que a distância que você pode saltar fugindo dela.

→ O apoio considerado “para qualquer tempo” costuma não funcionar em caso de mau tempo.

→ Todas as ordens que puderem ser mal-entendidas, certamente o serão.

→ Nenhuma trincheira pode ser considerada conveniente depois do primeiro tiro.

→ Nunca seja o primeiro, nunca seja o último, nunca seja voluntário para nada.

→ Se suas posições estiverem firmemente estabelecidas e você estiver realmente preparado para enfrentar o inimigo, ele passará longe de você.

→ Se sua emboscada estiver corretamente preparada, o inimigo nem passará perto.

→ A densidade do fogo aumenta de acordo com a curiosidade do alvo.

→ Objetos estranhos atraem fogo; nunca se abrigue atrás deles.

→ Quanto mais idiota é o líder, mais importantes são as missões a ele atribuídas.

→ A autoestima de um superior é inversamente proporcional à sua posição na hierarquia.

→ Há sempre uma maneira inovadora de se realizar um ataque, e ela normalmente não dá certo.

→ O sucesso ocorre quando ninguém está olhando, mas as falhas só ocorrem quando o comandante está observando.

→ O inimigo nunca monitora sua frequência de rádio quando você usa um canal ostensivo.

→ Assim que servem o rancho quente, chove.

→ Nunca deixe seu superior perceber que você não tem o que fazer.

→ Nenhum plano de operação sobrevive ao primeiro contato com o inimigo.

→ Respeite todas as religiões em uma zona de combate, pois você não sabe para onde vai, se for morto.

→ Se você sobreviver a uma emboscada, alguma coisa falhou.

→ Há poucas ocasiões em que o inimigo não pode ouvir você: quando ele está morto, quando você está morto, ou em ambas.

→ Você só é melhor que seu inimigo se você matá-lo primeiro.

→ Não queira morrer por sua pátria; deixe o inimigo morrer pela dele.

→ Nunca subestime a capacidade dos superiores em fazer besteiras.

→ Nunca termine uma tarefa antes do prazo, senão o comandante logo lhe arranjará outra.

→ Você tem dois inimigos mortais em combate: o lado oposto e sua própria logística.

→ Três coisas que dificilmente você tem em combate: comida quente, banho quente e uma noite de sono sem interrupções.

→ “Vida” e “Heroísmo” são termos mutuamente exclusivos.

→ Nunca entre em combate com menos munição que o adversário.

→ Nenhuma tarefa é impossível, pois não é o chefe quem vai executá-la.

→ Quando o subordinado é imbecil, é imbecil. Quando o comandante é imbecil, é comandante.

→ As decisões tomadas por seu superior dificilmente serão em seu beneficio.

→ Se você consegue pensar claramente, sabe exatamente o que está acontecendo e tem total controle da situação, então, você não está em combate.

→ As falhas no plano “A” irão afetar diretamente a capacidade de executar o plano “B”.

→ Se você sobreviver às coisas extraordinárias, as simples é que vão matar você.

→ A mesma bravura que levou você ao posto atual é a que vai matá-lo no posto seguinte.





Nenhum comentário:

Postar um comentário