sábado, 31 de maio de 2014

Retiro




- Amor?
- Hum.
- Neste Carnaval, faremos um retiro.
- Que ótimo, Roberval! Para onde iremos?
- Irei
- Quê?
- Vou sozinho. Quer dizer, com uns amigos do escritório.
- Ah, é?
- Não precisa fazer essa cara desconfiada. É retiro mesmo. Sério. Seríssimo. Meditação e coisa e tal.
- Aham.
- Acredite em mim.
- E por que sem famílias?
- Queremos ficar isolados, sabe como é. Nós, o vazio, o silêncio, a finitude da vida, etc.
- Mas já não ficam isolados a semana toda, naquele cubículo que vocês chamam de escritório.
- É diferente. Poderemos relaxar. E pensar. O mundo anda desse jeito, violento, porque ninguém para pra pensar. E queremos visitar o nosso eu interior.
- Um vai visitar o eu interior do outro? E o meu, como é que fica? Nem no Carnaval?
- Ô, Juraci! Que apelação!
- Tá. Posso arrumar a tua mala, pelo menos?
- Não se preocupe, meu amor. Eu já arrumei.
- Humhum.
- Que foi? Que cara é essa?
- É que já dei uma espiada na tua mala.
- Juraci!
- Vi a máscara. E não me diz que é pra retiro!
- Aiai. Tá, meu amor. Eu confesso. Não sei se você vai entender, mas confesso.
- Confessa o quê?
- Sou black bloc.
- Hein?
- Black bloc. Desculpe, mas sou. E vou protestar conta a Copa. Eu não queria te preocupar, sabe. Tanta violência, gente presa, quebra-quebra, esse horror. Parece a ditadura, lembra?
- Ô.
- Então. A situação do país, essa corrupção, esse...
- Roberval!
- Hum.
- Black bloc usa máscara de colombina?


(Texto de Oscar Bessi Filho, no Correio do Povo)


Nenhum comentário:

Postar um comentário