quarta-feira, 21 de maio de 2014

Miscelânea humorística

          

Perguntaram certa vez a um sábio, quais, em seu entender, eram as palavras mais difíceis de ser pronunciadas. Ele refletiu um momento e depois disse:
- São quatro: “Desculpe, eu estava errado.”


Num enterro havia este aviso atrás de um carro de entrega de flores e coroas:
“Guie com cuidado: o próximo carregamento pode ser para você!”


Um indivíduo cai do cavalo e quebra uma perna. No hospital o médico pergunta:
- É a primeira vez que monta?
- Não, doutor, é a última...

Num júri, em meio a uma tediosa oração, o advogado de defesa protesta ao juiz:
- Meritíssimo! Os jurados estão dormindo e não ouvem o que estou dizendo!
Responde o juiz:
- Foi o senhor quem os fez dormir, Trate, portanto, de acordá-los!


Patrão entra no escritório e pergunta ao datilógrafo que trabalha furiosamente:
- Desde que horas você está batendo nesta máquina?
- Desde o momento em que senti o senhor abrindo a porta!


- O que o senhor tanto procura? – pergunta a secretária do famoso conferencista que remexe em pilhas e mais pilha de papéis.
- Não consigo encontrar os originais de minha conferência intitulada “Um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar”.

“O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia e um morto que vive.”

Padre Antônio Vieira

- Meu trabalho mais difícil é sempre antes do café da manhã.
- Que fazes de tão penoso?
- Levantar-me da cama.


- Rapaz, fiquei sabendo de um fato verdadeiramente extraordinário!
- O que foi?
- Reuniram-se vinte mulheres e nenhuma falou por vários minutos.
- Impossível.
- É verdade. Havia sido combinado que a mais velha deveria abrir os trabalhos da reunião...


Um índio (norte-americano, naturalmente) certo dia se apresentou na gerência de um banco da cidade mais próxima do acampamento, para pleitear um empréstimo.
- Quero 200 dólares.
- Que garantia pode oferecer?
- Tenho 200 cavalos.
Como a garantia era mais do que suficiente, o empréstimo foi concedido. Pouco tempo depois, o índio apareceu novamente no banco, com 2.200 dólares em dinheiro. Pagou o que devia e meteu o resto do dinheiro no bolso, dispondo-se a sair.
- Por que não deixa o seu dinheiro no banco para nós tomarmos conta? – sugeriu o gerente.
O índio, olhando firmemente, replicou:
- O senhor quantos cavalos tem?



Num tribunal, o juiz interroga uma testemunha:
– A que distância o senhor estava quando ouviu o primeiro tiro do agressor?
– Um metro de distância, Excelência.
‒ E o segundo tiro?
– Um quilômetro!





Nenhum comentário:

Postar um comentário