terça-feira, 20 de maio de 2014

A mão que afaga e A mão que afoga



Reynaldo Jardim foi um jornalista e poeta brasileiro.
Nascimento: 13 de dezembro de 1926, São Paulo, São Paulo
Falecimento: 2 de fevereiro de 2011, Brasília, Distrito Federal
Obra: Maria Bethania Guerreira Guerrilha.


Com a mão esquerda alicia,
com a direita degola,
com a esquerda acaricia,
com a direita esfola.

Com a esquerda, noite e dia,
promete pão e escola.
Com a outra, a faca fria
corta a cabeça que rola.

Com a esquerda é eleito,
enrica, todo frajola.
Põe a medalha no peito,
para o povo, nem escola.

Com a mão direita conquista
e para a fama decola.
Ganha capa de revista,
precisando, até rebola.

Leva vida de artista,
televisão toda hora.
No Congresso é um turista,
nem chegou, já vai embora.

Pra votar é governista,
apertou, ele decola.
Pra Fernando de Noronha,
Paris, Espanha ou Angola.

Vai de graça, sem vergonha,
sempre levando uma bola.
Com a mão esquerda acena
em direção do futuro.
E faz se jogo de cena
equilibrando no muro.

Diz ao pobre que tem pena
de quem na vida dá duro.
(O pobre ele depena
e esfaqueia no escuro.)

Com a mão direita, homicida
peão, lavrador, tropeiro.
Faz do país um suicida
neste imenso cativeiro.
De perversão, genocida
o Brasil e o brasileiro.





          

Nenhum comentário:

Postar um comentário