sexta-feira, 16 de maio de 2014

Provérbios modernizados

Millôr Fernandes


No sentido de aprimorar cada vez mais a linguagem de nossos leitores, apresentamos aqui alguns conhecidíssimos provérbios, tendo o cuidado de vasá-los para a linguagem mais digna e menos obsoletas do que aquela em que usualmente são apresentados. Veja o leitor se consegue descobrir, dentro desta roupagem nova, o provérbio velho, e terá então se candidatado à descoberta de muitas outras coisas novas que, neste lindo mundo de Deus, são tantas vezes obrigados, por força de economia precária, a usar roupas velhas. Mas não entremos no social nem no emotivo. Fiquemos no puro intelectual, senhores:

(01) A substância inodora e incolor que já se foi não é mais capaz de comunicar movimento ou ação ao engenho especial para triturar cereais.

(02) Aquele que se deixa prender sentimentalmente por criatura inteiramente destituída de dotes físicos, de encanto, ou graça, acha-a extraordinariamente dotada desses mesmos dotes que outros não lhe veem.

(03) O artífice ou operário que fabrica um cabaz fundo fabrica vinte vezes o quíntuplo disso.

(04) De unidade de cereal em unidade de cereal a ave de crista carnuda e asas curtas e largas da família das galináceas abarrota a bolsa que existe nessa espécie por uma dilatação do esôfago e na qual os alimentos permanecem algum tempo antes de passarem à moela.

(05) O Espírito das Trevas não é tão destituído de encantos e graças físicas quanto se o representa por meio de traços e cores.

(06) Aquele que anuncia por palavras tudo que satisfaz o seu ego, tende a perceber pelos órgãos de audição coisas que não se destinam a aumentar-lhe o sentimento de euforia.

(07) Por cada um dos prolongamentos articulados, que determinam os pés e mãos do homem e outros animais, se estabelece a identidade do ser de estatura descomunal.

(08) Quando o Sol está abaixo do horizonte, a totalidade dos animais domésticos da família dos Felídeos são de cor mescla entre branco e preto.

(09) O traje característico que usa não identifica fundamentalmente a pessoa que por fanatismo, misticismo ou cálculo se isola da sociedade levando vida austera e desligada das coisas mundanas.

(10) A criatura canonizada que vive em nosso próprio lar não é capaz de produzir efeito extraordinário que vá contra as leis fundamentais da natureza.

Identifique a forma tradicional dos mesmos provérbios:

(   ) À noite todos os gatos são pardos.

(   ) Quem ama o feio bonito lhe parece.

(   ) De grão em grão a galinha enche o papo.

(   ) Águas passadas não movem moinhos.

(   ) Santo de casa não faz milagres.

(   ) O diabo não é tão feio quanto se pinta.

(   ) O hábito não faz o monge.

(   ) Pelo dedo se conhece o gigante.

(   ) Cesteiro que faz um cesto, faz um cento.

(   ) Quem diz o que quer, ouve o que não quer.





2 comentários:

  1. Caraca muleque amei esse site era justamente oq eu estava procurando

    ResponderExcluir
  2. Seja bem-vindo, meu irmão, faça bom uso destes textos que os coloquei com muito carinho.

    Nilo Moraes

    ResponderExcluir